Detalhe de Conteúdo

Somos criaturas na Criação

Postado por: 03/10/2017 0 Comentários 160 views

Amigos, como é maravilhoso estar em união com vocês desejando, sempre, que o dia, a semana, o mês e ano sejam de esperança, paz e vitórias!

Este é um mês de datas especiais. Entre elas, o Dia da Natureza (dia 04), reforçando o trabalho do Papa Francisco no cuidado da casa comum propagado em sua Carta Encíclica Laudato Si, cujo nome foi extraído do cântico de São Francisco “Laudato si’, mi’ Signore” (“Louvado sejas, meu Senhor”).  Em um dos trechos do documento, ele cita:

Todas as criaturas estão interligadas, e deve ser reconhecido com carinho e admiração o valor de cada uma.  Todos nós, seres criados, precisamos uns dos outros.

Deus é o Criador de tudo e o ser humano é criatura na criação. A comprovação disto encontra-se na Palavra, desde Gênesis em que cria o homem a Sua imagem e semelhança para que, em Seu nome, ele cuide, cultive e frutifique a criação, e para que com sua mulher – uma vez que viu que não era bom que estivesse só – multiplique-se para que através dos filhos percebam a verdadeira face do Seu amor. Assim encontra-se em Gn 1,31: “Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom.”

O ser humano, de forma equivocada (vaidade) ocupou o lugar de Deus – sentido de perfeição – tornando tudo e todos como sua propriedade, os desvalorizando tanto quanto a si mesmo, esquecendo-se que é um ser limitado. Contudo, os dons recebidos são dadivosas graças do Pai que, por amor, se tornou Verbo Encarnado e habitou entre nós onde, humanamente em Jesus Cristo, resgatou a Redenção da humanidade transformando, em Sua Ressurreição, o projeto de Salvação universalmente.

Os guardiões da criação, conforme enfatiza o Papa Francisco, é um dever vocacional de toda a sociedade já que o meio ambiente é coletivo e, para resgatá-lo e equilibrá-lo, se faz essencialmente urgente o próprio homem renascer em nova criatura fundamentando o saudável progresso em harmoniosa estabilização universal. Deste modo, são necessárias mudanças comportamentais básicas – a reeducação – para que, ao redor de cada pessoa, a educação ambiental seja resgatada em práticas imediatas e conscientes.

A etimologia de sustentabilidade vem do latim sustentare que significa sustentar, apoiar e conservar. Desta forma, o ser humano deve buscar ser comunhão na Criação a fim de que, neste encontro sustentável, emerja ações estratégicas regeneradoras e transformadoras de frutificações e reflorescimentos, afinal o homem é capaz de criar tantas coisas através de suas potencialidades e, por esquecer que tudo vem através de Deus – na sabedoria, até mesmo sua inspiração acaba tornando-se cárcere de suas criações.

São Francisco de Assis no final de sua Prece ao Pai ressalta:

Pai, dai ao homem a liberdade de poder voar como os pássaros, correr como os rios, espalhar-se como os ventos, aquecer-se como um Sol, enfeitar-se com mil cores.  A liberdade de possuir a sabedoria, a virtude dos sábios, a alegria dos puros e a brandura radiosa do gelo.  Pai, dai ao homem todos estes dons que nada mais são do que a virtude dos anjos, para que possam apreciá-las e dar-lhes valor, a ponto de lutarem por possuí-las, sabendo que, para pedir-te tanto, terão que despojar-se de todas as vaidades e baixezas humanas.

Que ao buscar sua essência integral e inter-relacional, o homem abarque a capacidade contemplativa que impulsione a práticas reestruturadoras de equilíbrio ambiental e social, o que deve ser sentido e semeado em seu universo interior.

Psicóloga e Comentarista Vivian Maria Felice Moreno

Sobre o Autor

Raphael Freire

Website:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Certifique-se de introduzir a informação (*) exigida onde indicado código. HTML não é permitido