Detalhe de Conteúdo

‘São Sebastião superou tudo com amor’

Postado por: 05/01/2018 0 Comentários 943 views

A partir do dia 7 de janeiro, os fiéis da Arquidiocese do Rio de Janeiro são convidados a viver, durante 13 dias, momentos de fé, devoção e unidade, com a visita da imagem peregrina de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, cuja solenidade é celebrada no dia 20.

A Trezena de São Sebastião ainda é uma oportunidade de preparar a Arquidiocese do Rio para a motivação pastoral que seguirá durante o ano, sendo o ano de 2018 dedicado aos leigos, os quais são convidados a dar continuidade ao que o Papa Francisco chama de “nova saída missionária”.

Dentre os locais escolhidos para a visita da imagem peregrina, junto com o Cardeal Orani João Tempesta e sua comitiva, estão setores da sociedade, periferias existenciais marcadas pelo sofrimento e comunidades eclesiais, tendo como preferência, neste período, aquelas dedicadas ao santo padroeiro.

Os 13 dias de peregrinação

Além do tema central: “São Sebastião superou tudo com amor”, nesta edição, pela primeira vez, haverá subtemas que serão refletidos ao longo dos 13 dias de peregrinação. Por isso, a Coordenação de Pastoral da Arquidiocese do Rio preparou um roteiro para as celebrações nas comunidades, com o objetivo de que os fiéis se preparem para este momento de fé, devoção e oração, disponível no site arqrio.org.

1º dia: “Cristão leigo, sujeito na Igreja e no mundo: esperanças e angústias”

A missa de abertura da Trezena acontecerá no Santuário Basílica de São Sebastião, na Tijuca, no dia 7 de janeiro, às 9h. Neste dia, a Igreja vai refletir a vida do santo padroeiro, além de sua corresponsabilidade na evangelização e as alegrias e dificuldades do ministério pastoral.

2º dia: “Identidade da vocação laical”

Na ocasião, será reafirmado o significado positivo dos fiéis leigos como membros do povo de Deus: sujeitos ativos na Igreja e no mundo, não como um fiel de pertença menor ou inferior, a quem faltasse algo da comum dignidade cristã, mas sim, membros da Igreja e cidadãos da sociedade humana.

3º dia: “São Sebastião, anunciador do Príncipe da Paz”

O terceiro dia mostrará a coragem do santo padroeiro, tal como de demais cristãos, que não negaram a fé e deram a vida por amor a Cristo. A reflexão também buscará apontar que a violência permeia a história da Humanidade, chegando aos dias atuais com um rosto multifacetado.

4º dia: “O cristão leigo como sujeito eclesial”

Neste dia, será destacado o zelo de São Sebastião para com a Igreja, defendendo-a até o martírio. A celebração buscará refletir sobre os batizados ainda não tomarem plena consciência de sua pertença à Igreja.  Sentem-se católicos, mas não Igreja. Dessa forma, há maior dificuldade para o leigo assumir sua corresponsabilidade, protagonismo e a participação como sujeito eclesial.

5º dia: “São Sebastião, anunciador de uma alegria profunda”

Nesta celebração, os fiéis contemplarão o Deus da esperança que jamais desampara os Seus filhos, mesmo em meio aos momentos de dor.

6º dia: “São Sebastião nos ajuda a vencer o mundanismo espiritual”

O sexto dia refletirá que, atrás de aparências de religiosidade e até mesmo de amor à Igreja, se esconde o mundanismo espiritual: a busca, em vez de glória do Senhor, da glória humana e do bem-estar pessoal. Uma maneira sutil de procurar “os próprios interesses e não os interesses de Jesus Cristo”.

7º dia: “Igreja, comunidade missionária”

Apesar do crescimento da consciência da identidade e da missão dos cristãos leigos e leigas na Igreja e no mundo, ainda há longo caminho a percorrer. “Eles devem ter uma consciência cada vez mais clara, não somente de que pertencem à Igreja, mas de que são Igreja, isto é, comunidade dos fiéis na Terra.

8º dia: “Igreja, comunhão na diversidade”

Sebastião se recuperou das feridas e exortou aos irmãos e irmãs para não terem medo e não se deixarem conduzir pelo terror da violência e da perseguição. A unidade da Igreja se realiza na diversidade de rostos, carismas, funções e ministérios, o que potencializa a missão da Igreja, realizada por todos os seus membros.

9º dia: “Dignidade da vocação laical”

No nono dia, a celebração refletirá que o anúncio do Evangelho a todos os povos e a todos os âmbitos da vida humana é missão especial dos cristãos leigos e leigas. Enviados por Cristo, em comunhão com os ministros ordenados e os consagrados, os cristãos leigos e leigas são fermento.

10º dia: “São Sebastião, protetor das famílias”

As famílias serão a intenção do 10º dia de peregrinação, de maneira que cada casa da cidade do Rio de Janeiro possa se tornar cada vez mais um lugar sagrado, pela intercessão de São Sebastião.

11º dia: “São Sebastião, discípulo do amor”

São Sebastião descobriu a riqueza que significa tornar-se discípulo de Jesus Cristo. Foi apóstolo abrasado no fogo do Espírito Santo. Foi zeloso batalhador da fé cristã. Fortaleceu muitos cristãos e protegeu todos os fiéis. Tanto na vida quanto na morte, mostrou-se varão justo e sem defeito.

12º dia: “São Sebastião, fiel a Deus”

Neste dia, os fiéis serão convidados a lançarem-se no amor de Deus, depositando em Cristo suas fraquezas. A fidelidade de Deus é característica de Seu infinito amor, um amor que espera o filho de volta, ciente de que é na casa do pai que o filho será feliz e verdadeiramente tratado como filho.

13º dia: “São Sebastião superou tudo com amor

O último dia retoma ao tema central da trezena, com o intuito de aprofundar a vivência do santo padroeiro e tê-lo como exemplo e intercessor.  Que o Príncipe da Paz seja refúgio e conforto para as famílias cariocas. Que a paz volte imediatamente, cesse toda a destruição e as lágrimas sejam enxugadas.

Priscila Xavier e Raphael Freire

Sobre o Autor

Rádio Catedral

Website:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Certifique-se de introduzir a informação (*) exigida onde indicado código. HTML não é permitido