Detalhe de Conteúdo

O Panamá nos aguarda

Postado por: 03/01/2018 0 Comentários 566 views

É tempo de celebrar uma nova JMJ. Já se vão cinco anos desde a JMJ Rio 2013. Fomos a Cracóvia e, daqui a um ano, será o momento de nos encontrarmos no Panamá. Pela terceira vez, acontecerá uma Jornada na América Latina. A primeira foi em Buenos Aires, em 1987. A segunda foi a nossa, no Rio de Janeiro. A terceira acontecerá na Cidade do Panamá entre os dias 22 e 27 de janeiro de 2019.

Com o intuito de bem preparar a presença do grupo oficial do Rio de Janeiro, uma comitiva visitou aquela cidade, reuniu-se com o Comitê Organizador Local, partilhou experiências vivenciadas aqui e buscou compreender o jeito panamenho de ser. Desde a JMJ de Cracóvia, temos formado o grupo oficial do Rio de Janeiro, tendo nosso arcebispo, Cardeal Orani João Tempesta, à frente. A experiência de Cracóvia mostrou o quanto é bom celebrarmos juntos a JMJ, com momentos especiais, proximidade dos lugares dos grandes eventos e uma pré-jornada pensada carinhosamente. Foi assim em Braga, antecedendo a Cracóvia, e será assim também no Panamá.

Uma Jornada possui muitas frentes: grandes celebrações, catequeses, reconciliação sacramental, atividades missionárias, visitas a lugares históricos e diálogo com culturas diferentes. O Panamá tem a chance de nos oferecer tudo isso. Aquele país é o encontro de muitos povos, muitas histórias e fortes diversidades sociais. Como não pensar a fé em meio a tudo isso?

À diferença de outras cidades, na capital do Panamá tudo é próximo. É possível caminhar por cerca de 30 minutos e chegar aos principais pontos da cidade. Jovens em boa forma gastarão menos tempo. No momento, estão previstos dois grandes locais para os atos centrais, o festival da juventude, o espaço das confissões e a feira vocacional. Será igualmente possível chegar a grandes centros comerciais onde uma grande variedade de serviços pode ser encontrada. O grupo oficial do Rio de Janeiro estará hospedado bem próximo, podendo ir e vir a todos esses lugares com facilidade.

É claro que não se pode deixar de mencionar o Canal do Panamá. Ainda não foram estabelecidas as condições de visita, mas não há como ir àquele país sem visitar o Canal, conhecer sua paisagem, seu funcionamento e sua história. A visita ao Canal, feita com atenção especialmente à história do que ali ocorreu, será um ponto importante dentro da próxima JMJ.

A partir de agora, ao longo de 2018, a equipe responsável pelo grupo oficial do Rio de Janeiro vai estreitar ainda mais os laços com o COL Panamá, a fim de melhorar a experiência vivida em Cracóvia. Está trabalhando para que a pré-jornada seja vivida em intenso contato com os jovens católicos daquele país. Está igualmente buscando uma igreja onde, sob a presidência de Dom Orani, haverá uma celebração dos cariocas, assim como aconteceu em Cracóvia, na Igreja Nossa Senhora Salete. Por fim, a equipe está buscando também um local para posto avançado da Rádio Catedral, com transmissões ao vivo.

Enfim, a JMJ do Panamá apresenta inúmeras possibilidades. O sonho é que cada comunidade (paróquia, movimento ou associação) envie pelo menos um jovem. Não há dúvida de que o contexto atual não é favorável a gastos, mas, se reconhecemos o que se ganha, em termos humanos e no âmbito da fé, o investimento até que é pequeno. Não é, por certo, o único grupo, mas é o grupo onde nossa arquidiocese estará oficialmente representada. É o grupo para o qual estão todos convidados: os peregrinos individuais, os grupos que ainda querem se formar e até mesmo os grupos que já estão formados. Todos são bem-vindos. O Panamá nos aguarda.

Dom Joel Portella Amado

Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Sobre o Autor

Rádio Catedral

Website:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Certifique-se de introduzir a informação (*) exigida onde indicado código. HTML não é permitido