Catedral & Você

17/11/2017 0 Comentários 27 views

Uma das comemorações pelos 25 anos da Rádio Catedral ocorrerá no dia 25 de novembro, às 18h, na Paróquia Santa Bárbara e Santa Cecília, em Vigário Geral. A celebração será...
Leia mais

14/11/2017 0 Comentários 273 views

Na Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Dia Mundial dos Pobres, proclamado pelo Santo Padre Francisco, receberá um tempo de preparação, a transcorrer entre os dias 11 e 19 de novembro. Neste período, os católicos cariocas são convidados a se colocarem diante do Senhor Sacramentado para lhes suplicar a graça de nunca se esquecerem dos pobres, aprendendo, a cada dia mais, a amar o Senhor Jesus também em todo irmão e irmã que sofre.

Veja o texto na íntegra:

É a mim que o fazeis!

Hora Santa em preparação ao Dia Mundial dos Pobres

19 de novembro de 2017

Na Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Dia Mundial dos Pobres, proclamado pelo Santo Padre Francisco, receberá um tempo de preparação, a transcorrer entre os dias 11 e 19 de novembro. Neste período, os católicos cariocas são convidados a se colocarem diante do Senhor Sacramentado para lhes suplicar a graça de nunca se esquecerem dos pobres, aprendendo, a cada dia mais, a amar o Senhor Jesus também em todo irmão e irmã que sofre.

 

  1. CANTO INICIAL                                                                                        (De pé)

Prova de amor maior não há que doar a vida pelo irmão.

  • 1) Eis que eu vos dou o meu novo mandamento: “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado!”
  • 2) Vós sereis os meus amigos se seguirdes meu preceito: “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado!”
  • 3) Permanecei no meu amor e segui meu mandamento: “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado!”
  • 4) Nisso todos saberão que vós sois os meus discípulos: “Amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado!”

 

  1. SAUDAÇÃO                                                                                                 (De pé)
  2. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
  3.      Amém.
  4.      O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, esteja convosco.
  5. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.
  6. Através da convocação do Santo Padre Francisco, a Igreja nos convida a celebrar o Dia Mundial dos Pobres. Com este momento de oração, pedimos forças ao Senhor Jesus para sempre lembrarmos de que o amor aos irmãos, em especial os mais necessitados, é o testemunho a que somos chamados.
  7. Diz a Biblia: “Quem ama a Deus ame também o seu irmão!”
  8. O amor aos irmãos pode ser concretizado de diversas formas. Dentre elas, destacamos a caridade, destacamos o coração generoso e inquieto diante das necessidades dos que sofrem.
  9. Onde o amor e a caridade, Deus aí está!”
  10. Por isso, rezemos para que o Senhor Jesus aumente sempre em nós a Fé, para que a Fé se traduza em incansável caridade e para que, apesar de todas as tribulações, nunca percamos a esperança.

Todos rezam em silêncio por alguns instantes. Quem desejar pode se ajoelhar. Depois de algum tempo:

  1.    Pai de misericórdia, Pai cujo amor não tem medidas, para nos salvar, enviastes vosso amado Filho. Ele, por amor, se entregou nas mãos dos malfeitores, sofreu a paixão, morreu e ressuscitou. Dai-nos, pois, a graça de perceber este amor a cada dia de nossas vidas e transformá-lo em amor aos irmãos, de modo especial os pobres e necessitados. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
  2. Amém.

 

  1. O DIA MUNDIAL DOS POBRES                                                            (Sentados)
  2. Ouçamos o que o Santo Padre Francisco nos diz sobre o amor a Jesus Cristo e o amor aos pobres. São trechos da mensagem que ele dirigiu a todos nós quando convocou o Dia Mundial dos Pobres:
  3. “O amor não admite álibis: quem pretende amar como Jesus amou deve assumir o seu exemplo, sobretudo quando somos chamados a amar os pobres. A oração, o caminho do discipulado e a conversão encontram, na caridade que se torna partilha, a prova da sua autenticidade evangélica. E, deste modo de viver, derivam alegria e serenidade de espírito, porque se toca palpavelmente a carne de Cristo. Se realmente queremos encontrar Cristo, é preciso que toquemos o seu corpo no corpo chagado dos pobres, como resposta à comunhão sacramental recebida na Eucaristia. O Corpo de Cristo, repartido na sagrada liturgia, deixa-se encontrar pela caridade partilhada no rosto e na pessoa dos irmãos e irmãs mais frágeis.”

 

  1. NOSSA RESPOSTA AO CONVITE DO PAPA FRANCISCO              (De pé)

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. / Onde houver ódio, que eu leve o amor. / Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. / Onde houver discórdia, que eu leve a união. / Onde houver dúvida, que eu leve a fé. / Onde houver erro, que eu leve a verdade. / Onde houver desespero, que eu leve a esperança. / Onde houver tristeza, que eu leve alegria. / Onde houver trevas, que eu leve a luz. / Ó mestre, fazei que eu procure mais, consolar que ser / consolado, compreender que ser compreendido, amar, que ser / amado. Pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado / e é morrendo que se vive para a vida eterna.

 

  1. PRIMEIRA LEITURA (GL. 3,9-10.12.14.23-24)                                              (Sentados)

Leitura da carta de S. Paulo aos gálatas – Irmãos, 9 “vós vos despistes do homem velho com os seus vícios e 10 vos revestistes do novo, que se vai restaurando constantemente à imagem daquele que o criou, até atingir o perfeito conhecimento. 12 Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhas de misericórdia, de bondade, humildade, doçura e paciência. 14 Mas, acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição. 23 Tudo o que fizerdes, fazei-o de bom coração, como para o Senhor e não para os homens, 24 certos de que recebereis, como recompensa, a herança das mãos do Senhor. ” – Palavra do Senhor.

  1. Graças a Deus.

 

  1. NOSSA RESPOSTA À PALAVRA DE DEUS (1 Jo 4,7-8; GL. 6,9)          (Sentados)
  2. Quem ama viu a Deus porque Deus é Amor!
  3. Quem ama viu a Deus porque Deus é Amor!
  4. Não nos cansemos de fazer o bem
  5. porque Deus é Amor!

 

Momento de silêncio para a oração pessoal.

 

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO                                                                       (De pé)

Aleluia! Aleluia! Como o Pai me amou, assim também eu vos amei!

Aleluia! Aleluia! Como estou no Pai, permanecei em mim!

Vós todos que sofreis, aflitos, vinde a mim. Repouso encontrarão os vossos corações.

Dou graças ao meu Pai que revelou ao pobre, ao pequenino, o seu grande amor.

 

  1. EVANGELHO (Mt 25,31-32.34-40) (De pé)
  2. O Senhor esteja convosco.
  3.        Ele está no meio de nós.
  4.         Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
  5.        Glória a vós, Senhor.
  6. Naquele tempo, disse Jesus:  31 “Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. 32.Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33.Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34.Então o Rei dirá aos que estão à direita: – Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, 35.porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; 36.nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim. 37.Perguntar-lhe-ão os justos: – Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? 38.Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos? 39.Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar? 40.Responderá o Rei: – Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.” – Palavra da Salvação.
  7.        Glória a vós, Senhor.

 

  1. HOMILIA

Momento de silêncio para a oração pessoal.

 

  1. PRECES                                                                                                        (De pé)
  2. Contemplando o Senhor Sacramentado, peçamos-Lhe forças para também contemplá-Lo nos pobres e sofredores.
  • 1) Rezemos por toda a Igreja, para que, através do testemunho da caridade, questione firmemene o egoísmo, a avareza e a indiferença, que geram pobreza e tantos outros sofrimentos.
  1. Cristo, ouvi-nos! Cristo, atendei-nos!
  • 2) Rezemos pelo Santo Padre Fancisco, inspirado por Deus para convocar a celebração do Dia Mundial dos Pobres, para que seja fortalecido sempre mais no serviço para o qual foi escolhido.
  • 3) Rezemos por todas as pessoas que, dedicando-se aos pobres e sofredores, dão testemunho da alegria, da esperança e da caridade que brotam da fé.
  • 4) Rezemos por todas as pastorais, movimentos e associações que se dedicam a trabalhar pelos pobres e pela superação de toda forma de pobreza.
  • 5) Rezemos por nossa comunidade para que, motivada pela celebração do Dia Mundial dos Pobres, fortaleça o que tem feito em favor e junto aos pobres e sofredores.

Outras preces conforme o costume local.

  1. Nossas preces concluamos rezando juntos a oração arquidiocesana pelo Dia Mundial dos Pobres:
  2. Senhor Jesus, / amando-nos até o fim, / vós nos salvastes. / Lavando os pés dos discípulos, / vós nos ensinastes o caminho do amor e do serviço. / Não tivestes onde reclinar a cabeça. / Não deixastes de acolher os que vos procuravam / nem de buscar os que estavam distantes. / Fortalecei-nos no amor aos irmãos, / especialmente aos pobres e sofredores. / Tantas são as angústias; grandes, os sofrimentos. / Não queremos ser indiferentes aos irmãos e irmãs que sofrem. / Não queremos passar longe de quem está ferido / pelas diversas formas de pobreza e de dor. / Somos todos irmãos e irmãs! / Dai-nos, a graça de celebrar o Dia Mundial dos Pobres. / Ajudai-nos a Vos perceber em cada pobre / e manifestarmos a Vossa presença acolhedora e solidária. / Abri nossos corações, / tornai criativa nossa inteligência, / fortalecei nossos braços, / guiai nossa voz / e uni nossos esforços / para que, através do testemunho de caridade e fraternidade, / sejamos capazes de colaborar para que diminuam sempre mais / a pobreza e todas as formas de sofrimento. / Senhor Jesus, / fazei-nos instrumentos de vosso amor. / Amém.

 

  1. BÊNÇÃO DO SANTÍSSIMO

Tão sublime sacramento adoremos neste altar,

pois o Antigo Testamento deu ao Novo seu lugar.

Venha a Fé por suplemento os sentidos completar.

Ao eterno Pai cantemos, a Jesus, o salvador,

ao Espírito exaltemos, na Trindade o eterno amor.

Ao Deus Uno e Trino demos a alegria do louvor. Amém!

  1. Do céu lhes destes o Pão!
  2. Que contém todo sabor!
  3. Oremos. Senhor Jesus Cristo, que neste admirável sacramento, nos deixastes o memorial da vossa paixão, concedei-nos tal veneração pelos sagrados mistérios do vosso corpo e do vosso sangue, que experimentemos sempre em nós sua eficácia redentora. Vós que sois Deus com o Pai e o Espírito Santo.
  4. Amém.

Bendito seja Deus / Bendito seja seu Santo Nome / Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem / Bendito seja o Nome de Jesus. / Bendito seja o seu sacratíssimo Coração. / Bendito seja o seu preciosíssimo Sangue. / Bendito seja Jesus, no Santíssimo Sacramento do Altar! / Bendito seja o Espírito Santo Paráclito! / Bendita seja a grande Mãe de Deus, Maria Santíssima! / Bendita seja sua Santa Imaculada Conceição! / Bendita seja sua gloriosa Assunção! / Bendito seja o Nome de Maria Virgem e Mãe. / Bendito seja S. José seu castíssimo esposo. / Bendito seja Deus, nos seus Anjos e nos seus Santos.

Deus e Senhor nosso, protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos Ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso Santo Padre o Papa, sobre nosso Cardeal Arcebispo com seus Bispos Auxiliares, sobre o nosso Pároco, sobre todo o Clero, sobre o chefe da nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade, para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei com os efeitos contínuos da vossa bondade, o Brasil, este Arcebispado, a Paróquia em que habitamos, a cada um de nós em particular e a todas as pessoas por quem somos obrigados a orar ou que se recomendaram às nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. Amém.

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

 

  1. CANTO FINAL

À escolha, conforme o costume.

(Mt 25)

 

  1. Eu tive fome e me destes de comer. Eu tive sede e me destes de beber.
  2. O que fizestes ao menor dos meus irmãos foi a mim que o fizestes.
  3. L.         Não nos cansemos de fazer o bem
  4. porque Deus é Amor!

 

Por Raphael Freire.

Foto de Gustavo de Oliveira.

Leia mais

13/11/2017 2 Comentários 968 views

  [caption id="attachment_19649" align="aligncenter" width="4128"] Juíza do Trabalho Monica Torres Brandão e a apresentadora Fátima Lima (Foto: Raphael Freire)[/caption] A Reforma Trabalhista aprovada este ano pelo Congresso e sancionada pelo...
Leia mais

10/11/2017 0 Comentários 341 views

Na ordem de antiguidade, é o segundo dentre os programas que compõem a grade da Rádio Catedral FM 106,7, precedido apenas pelo programa “Vox Populi”. Foi idealizado e implementado pelo Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, com o objetivo de divulgar as atividades do Banco da Providência, da Arquidiocese do Rio de Janeiro, do qual eu já fazia parte como responsável pelo Setor de Comunicação. A convite do Cardeal Sales, aceitei dirigi-lo.
Inicialmente com a denominação de “Sétimo Dia”, ia ao ar aos domingos. A sua primeira apresentação ocorreu em 18 de abril de 1993, data designada pelo diretor da emissora,  Adionel Carlos. O nome “Sétimo Dia” foi uma ideia do cartunista Ziraldo, que se incumbira da escolha do nome do programa, justificando o seu autor que domingo era o dia do descanso do Senhor.
Logo depois, por sugestão do Cardeal Eugenio Sales, o programa mudou de nome, passando a se chamar “15 Minutos”, que era o tempo de duração, ampliado, posteriormente, para 40 minutos, algo que permanece até hoje. Justificava-se a mudança porque o nome original lembrava as comemorações de pesar pelo passamento de alguém.
O papel de produtora e apresentadora de um programa radiofônico foi uma novidade na minha vida, um desafio que encarei com fé e amor, sobretudo muito prazeroso, dada a minha formação católica. Formar equipe, buscar apoio, dar nome ao programa foram os primeiros passos, superados graças ao entusiasmo de dedicados colaboradores, notadamente a Universidade Gama Filho, através do seu coordenador de Comunicação, professor Joaquim Lannes e de seus estagiários, os quais participaram ativamente das primeiras programações.
Com mais tempo no ar, criaram-se quadros fixos, móveis, enquetes e serviços sobre assuntos da atualidade, de interesse do ouvinte, ganhando, assim, audiência cada vez maior. Valeu a pena! O programa veio para ficar! E hoje pode comemorar efusivamente, com a própria emissora que o veicula, o seu jubileu de prata.
Suelly Vasconcellos
Leia mais

07/11/2017 0 Comentários 419 views

O Centro de Estudos do Sumaré, no Rio Comprido, sediará o IV Seminário de Comunicação entre os dias 7 e 10 de novembro. O tema “Ser Igreja na rede: a cultura digital como um recurso” será debatido por palestrantes do Brasil, da Itália (Roma) e dos Estados Unidos.

Segundo o anfitrião, arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, eles “são profissionais capacitados a proporcionar uma reflexão sobre temas que tocam concretamente o apostolado da Igreja nestes tempos de uma cultura digital”.

Um dos organizadores, padre Arnaldo Rodrigues, contou que a intenção do encontro é proporcionar um estudo da Igreja no ambiente das redes sociais e novas tecnologias nos dias atuais. “A Igreja está inserida nesse contexto. E quisemos fazer esse estudo trazendo alguns profissionais dessa área. Esses encontros nos ajudam inclusive a nos prepararmos para os momentos que virão na era digital”, afirmou o sacerdote.

Os conferencistas serão: o secretário da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé (Dicastério para a Comunicação), monsenhor Lucio Ruiz; o vice-presidente executivo da Qualcomm Technologies, Inc. e presidente da Qualcomm CDMA Technologies (Califórnia, EUA), Cristiano Amon; o jornalista e professor das universidades Facha, Metropolitana do México, Escola Superior de Propaganda e Marketing e PUC-Rio, Fernando Morgado e o assessor da Comissão Episcopal para Comunicação da CNBB, padre Antônio Xavier.

Comunicar a Palavra

Dentre as reflexões do encontro, estarão: a construção da cultura digital; o meio digital como “liquidificador” de relações; o empoderamento das pessoas através do uso da rede; a rede entre conexão e solidão; a rede e o conceito de comunhão eclesial; o smartphone – maior plataforma de desenvolvimento e comunicações da Humanidade. O que esperar na próxima década e como a tecnologia continuará a se desenvolver também será tema de explanação no encontro.

“Desejo ressaltar a importância de continuarmos a preparação daqueles que colaboram com nosso pastoreio para ajudar nossas dioceses, congregações e institutos. Somos constantemente chamados a olhar a realidade como se apresenta, a refletirmos e a darmos uma resposta sempre atual com base no Evangelho, aplicando-a nas novas ‘praças de evangelização’ e com os novos meios disponíveis”, exortou Dom Orani.

Segundo ele, o aumento do número de participantes do seminário pode ser observado ao longo dos anos. Na primeira edição do evento foram 97 inscritos, enquanto no último (2016) foram 106. Nesta edição, são 116 os inscritos até o momento. Segundo a organização, o evento foi pensado para ser único, acontecer apenas uma vez. Mas devido ao sucesso e à necessidade, tornou-se um encontro anual.

“Isto nos mostra uma busca pelo aperfeiçoamento e uma necessidade de ajudarmos nossos colaboradores mais diretos na área da comunicação a estarem sempre mais preparados, também tecnicamente, para os desafios que temos diante de nós”, afirmou Dom Orani.

Padre Arnaldo contou que além das palestras, haverá atividades culturais ligadas à área da comunicação.

“Cada diocese, movimento ou grupo que estiver presente poderá levar para seu local de trabalho as ideias e partilhas que tiveram durante o seminário. Portanto, pedimos a Deus que nos auxilie e nos conduza para que nos coloquemos a serviço da Palavra, a fim de comunicarmos aquilo que o Senhor Jesus Cristo nos pede, sempre com mais profissionalismo, zelo, atenção e fidelidade”, pontuou.

Nathalia Cardoso

Leia mais

06/11/2017 0 Comentários 28 views

A Rádio Catedral convida você e sua família para participar da celebração "Rumo aos 25 anos", que acontecerá no dia 25 de novembro, com início da Santa Missa às 18h,...
Leia mais

03/11/2017 0 Comentários 349 views

No dia 8 de dezembro de 1992, uma terça-feira, exatamente ao meio-dia, foram ligados os equipamentos de uma nova emissora, a Rádio Catedral FM 106.7. Ela era, à época, a mais potente rádio FM do estado. O então arcebispo do Rio, Cardeal Eugenio Sales, foi o primeiro a ocupar o microfone. Abençoou a todos e falou sobre a importância deste veículo para a arquidiocese e para a Igreja.
Certo dia, ao cumprimentar Dom Eugenio, recebi uma “convocação”: “Sergio, preciso que você nos ajude na rádio”. E naquele momento começou a história do programa “Vox Populi”.
Voz do Povo
Após o convite de Dom Eugenio, conversei com algumas pessoas influentes sobre o programa e a receptividade foi imediata: todos se dispuseram a ajudar. Foram várias as sugestões quanto à escolha do horário e tempo de duração.
Conversei com Dom Eugenio sobre a possibilidade de o programa ir ao ar após a “Voz do Pastor” e ele concordou. Começamos então a pensar em um nome, que por sugestão de Daniel Homem de Carvalho, corroborado pela deputada Yara Vargas, ficou sendo “Vox Populi”, a voz que viria após a “Voz do Pastor”.
Levamos a proposta ao diretor Adionel Carlos, que elaborara uma grade robusta, com poucos programas, para fixá-los na memória do ouvinte. Ali soube que o “Vox Populi” teria uma hora de duração e seria diário.
A orientação do cardeal foi a seguinte: “O programa precisa esclarecer, informar, debater ideias e também evangelizar”. Esta foi e continua sendo a tônica do “Vox Populi”.
Inicialmente o programa era dividido em três segmentos. Alguns meses depois, o formato, por sugestão de Adionel, foi modificado para o que é hoje: reserva-se um tema para cada dia da semana, respectivamente: “Debate”, “Cultura”, “Jurídico”, “Cultura, Arte, Economia” e “Esporte”.
O programa foi ancorado por mim durante 15 anos. Nestes últimos dez, os âncoras passaram a revezar. O “Vox Populi Jovem”, sob a condução de Cristiano Tebaldi, transformou-se, hoje, em líder de audiência no horário. O “Vox Populi Médico”, que tem o doutor Alfredo Canalini como âncora, é um programa de referência na área.
Professor Sergio Pereira da Silva
Leia mais

27/10/2017 0 Comentários 376 views

No dia 19 de julho de 2008, um evento chamado “Balada Jovem” dava origem e nome ao primeiro programa de música eletrônica cristã na Rádio Catedral FM. O “Balada Jovem”...
Leia mais

27/10/2017 0 Comentários 465 views

A Nunciatura Apostólica no Brasil comunicou nesta sexta-feira, 27 de outubro, a decisão do Papa Francisco em nomear o Monsenhor Paulo Celso Dias do Nascimento, bispo titular de “Agunto” e...
Leia mais

26/10/2017 0 Comentários 410 views

Sim! Eu posso escrever este texto! Pelo simples fato de que eu fui o pior coordenador que já vi em todos os grupos em que estive à frente. É irônico...
Leia mais